Produção do vinho de Talha inscrita no Inventátio Nacional do Património Cultural Imaterial

Foi aprovada a inscrição da Produção do Vinho de Talha, no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial (INPCI), pela Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), conforme publicação em Diário da República de dia 14 de dezembro.

Este é um processo para o qual o Município de Mora contribuiu, a par de outros Municípios, e que constitui a estratégia estabelecida para a candidatura do Vinho de Talha a Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela UNESCO.

Esta aprovação é sinónimo do reconhecimento da Produção do Vinho de Talha enquanto identidade do povo e da sua importância histórica para a comunidade.

Por todo o Concelho de Mora, em especial na Freguesia de Cabeção, a prática da produção do vinho de talha está enraizada, onde são ainda muitos os produtores que recorrem às técnicas artesanais e ancestrais para produzirem os seus néctares.

É para valorização desse trabalho que o Município de Mora organiza anualmente a Prova do Vinho Novo de Talha de Cabeção. Em 2024 o evento acontece nos dias 26, 27 e 28 de janeiro.