Reguengos de Monsaraz: municipio preocupado com os agricultores

Foto: Municipio de Reguengos de Monsaraz

Há séculos que o concelho de Reguengos de Monsaraz sustenta a sua economia na atividade agrícola e desde o final do século XIX principalmente na vitivinicultura, com o cultivo atual de milhares de hectares de vinhas de pequenos agricultores e de 11 produtores de vinho, que produzem anualmente milhões de litros de vinho de excelente qualidade, reconhecida em dezenas de países de todo o mundo que consomem os vinhos da sub-região de Reguengos.

O descontentamento dos agricultores devido aos anunciados cortes, aparentemente revertidos pelo governo, de 35 por cento nos montantes a pagar aos agricultores ao abrigo dos Ecorregimes de Agricultura Biológica e de 25 por cento na Produção Integrada, que assim assume e tenta corrigir os erros e a incompetência do Ministério da Agricultura na programação do Plano Estratégico da Política Agrícola Comum (PEPAC), deixaram o Município de Reguengos de Monsaraz preocupado com a perda de rendimentos dos agricultores e com a sustentabilidade do setor primário do concelho.

A agricultura é um setor de atividade que representa centenas de postos de trabalho no concelho e o Município de Reguengos de Monsaraz tem acompanhado com apreensão as preocupações dos agricultores da região, que têm custos de produção cada vez mais altos e que com frequência manifestam a vontade de desistir da atividade.

A Política Agrícola Comum, que tem tornado os produtos portugueses menos competitivos, assim como a má gestão das ajudas pelo governo português, com constantes atrasos nos pagamentos e escassos apoios para compensar as quebras de produção, têm prejudicado fortemente os agricultores e levado ao desmoronamento do setor, ao empobrecimento das regiões predominantemente agrícolas, à desertificação e ao despovoamento das zonas rurais.

O Ministério da Agricultura tem demonstrado uma grande desorganização e é fundamental rever o seu funcionamento técnico e os apoios que dá aos agricultores, para que não voltem a atribuir ajudas exíguas e irrisórias aos agricultores penalizados devido a seca prolongada, tal como aconteceu durante este governo.

O Município de Reguengos de Monsaraz vem assim expressar que estará sempre ao lado dos agricultores na sua luta por melhores condições para a sua atividade e pela melhoria dos seus rendimentos. É por isso que juntamos a nossa voz à dos profissionais da agricultura para exigir que o Plano Estratégico da Política Agrícola Comum seja revisto e que existam políticas agrícolas que beneficiem claramente os agricultores portugueses e lhes permita serem competitivos no mercado europeu.