DECO: mitos sobre equipamentos de aquecimento eficiente

O investimento é, por vezes, aquilo que mais assusta os consumidores na hora de adquirir um equipamento de aquecimento, mais eficiente, no então, esta semana na rubrica da DECO, com Maria Inês Alvarenga, da DECO Alentejo, serão desmistificados alguns desses mitos.

Maria Inês Alvarenga alerta para a necessidade de os consumidores procurarem “fontes de informação fidedignas”, como a DECO e a ADENE – Agência para Energia, procurando “não apenas a explicação, mas também os autores do textos e/ou as fontes utilizadas”.

Quanto aos mitos, a jurista revela que “o primeiro é que é preciso ter muito dinheiro para instalar um sistema centralizado de aquecimento”, explicando que o investimento é necessário. No entanto, “é preciso fazer contas. O custo dos nossos equipamentos são a soma da aquisição, da instalação, da manutenção e da utilização, o aquecimento propriamente dito”.

Para mais esclarecimentos de dúvidas, Maria Inês Alvarenga relembra que os interessados podem aceder ao site aquecimentoeficiente.adene.pt, “onde se desconstrói dez mitos comuns sobre estes temas”. A jurista explica ainda que “o programa Vale Eficiência destina-se a todos os proprietários que sejam beneficiários da tarifa social”, um beneficio atribuído automaticamente, podendo ser atribuído a estes consumidores “um cheque de 1300 euros, mais IVA, para gastar, numa novidade eficiente, nas nossas habitações”.

Os mitos sobre aquecimento eficiente são o tema em destaque, esta semana, na rubrica da DECO, com Maria Inês Alvarenga.