Casa de acolhimento em edifício devoluto em Borba

A candidatura da Casa Social de Borba insere-se no Plano de Ação Integrado para as Comunidades Desfavorecidas (PAICD) de Borba, previamente aprovado e contratualizado com a Autoridade de Gestão do Programa Operacional da Região Alentejo.

A operação consiste na reabilitação integral de um edifício devoluto, sito na Rua de São Sebastião, em Borba, com vista à criação de uma Casa de Acolhimento Temporário, que terá como objetivo apoiar as famílias que da mesma venham a necessitar, com o objetivo de promover a inclusão social em territórios desfavorecidos, através de ações de regeneração física, económica e social.

O imóvel encontrava-se devoluto, mas a utilização pré-existente destinava-se a habitação, sem outros usos associados e com capacidade estimada para uma família de até seis pessoas.
Esta Casa de Acolhimento Temporário foi pensada para atuar numa fração populacional específica com problemáticas sociais adjacentes e situações criticas que necessitam de intervenção urgente. A instalação deste equipamento de utilização coletiva, servirá de apoio às famílias com necessidades de realojamento por períodos não superiores a 4 meses.

Uma das particularidades desta edificação é a sua localização geográfica, situada no centro da cidade, próxima de superfícies comerciais, bancárias, de restauração, da Câmara Municipal e do Posto Territorial da GNR de Borba. Esta proximidade potencia o trabalho de inclusão e desenvolvimento social com estas famílias a ser desenvolvido pelo Serviço de Ação Social do Município de Borba, permitindo a intervenção imediata e concertada em situações urgentes.

À data, a operação assume um investimento total próximo dos 140.000 euros, tendo já aprovado apoio FEDER próximo dos 90 mil euros, encontrando-se o Município a preparar um pedido de reprogramação, para submissão à Autoridade de Gestão, com vista a solicitar apoio adicional de cerca de 30 mil euros e encerramento da operação no final do primeiro trimestre de 2022.