Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Montemor atravessa dificuldades

Devido à pandemia e à falta de apoios do Estado a Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo está a atravessar um período de dificuldades.

António Pinetra, presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Montemor, revela que neste momento, “o corpo de assalariados da Associação são 35, mais os voluntários, temos um corpo ativo a rondar as 70 pessoas”, acrescentado que são diversas as dificuldades que atravessam que se prendem “com a forma de financiamento do Estado às Associações de Bombeiros, nós temos vindo a reclamar e achamos que tem de ser alterada a forma como é feito o financiamento para os bombeiros”.  O presidente da Associação acrescenta ainda que quanto ao “transporte de doentes não urgentes que nós temos neste momento, o preço de quilómetro, 51 cêntimos, é o preço de há vários anos, mantêm-se”, não acompanhando as subidas de preços do combustível que têm vindo a ser feitas, acumulando a estes problemas, atrasos nos pagamentos dos serviços prestados pelos Bombeiros.

A Associação tem feito apelos para que seja colocada, na corporação, uma nova ambulância, as viaturas que “deveriam de estar colocadas nas Corporações de Bombeiros e neste caso em Montemor, nós temos uma ambulância do INEM, com mais de 10 anos, quando veio para a corporação já tinha mais de 100 mil quilómetros e neste momento está parada há vários meses”, devido a avaria.

Devido ao aumento das despesas serem cada vez maiores, o presidente da Associação, confessa que não há forma de angariar receitas, “sobrevivendo com a contribuição dos nossos associados, com alguns apoios e que alguns particulares e empresas nos vão concedendo”, bem como com os “apoios que a câmara municipal, ao longo dos anos, nos tem vindo a conceder”. António Pinetra refere ainda que os apoios do Estado se mantêm, no entanto, têm de ser revistos.

A Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo que tem passado por algumas dificuldades, consequência da pandemia de covid-19.