ICNF ainda não detetou nenhum olivicultor a fazer apanha noturna de azeitona

O Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) está a intensificar a fiscalização, nos olivais da região, nesta campanha olivícola, para evitar a apanha mecânica noturna de azeitona, que provoca a morte de aves.

Mais do que qualquer penalização o objetivo passa por “sensibilizar os olivicultores e alertá-los para o facto de que a apanha noturna de azeitona, causar a morte de aves, o que pode resultar em contraordenações ambientais e pode ter consequências bastante gravosas para o olivicultor, do ponto de vista económico”, revela Olga Martins, diretora Regional do ICNF do Alentejo.

Para já “ainda não foi detetado nenhum olivicultor a fazer apanha mecânica noturna de azeitona”, o que, deixa todos, diz Olga Martins, “muito satisfeitos”.

A diretora regional do ICNF no Alentejo adianta ainda que as contraordenações poderão até 45 mil euros, para pessoas coletivas, ou até meio milhão de euros, nas contraordenações ambientais, sendo estas muito pesadas para qualquer entidade, por isso não tem “qualquer interesse em aplicar contraordenações, sendo que o objetivo é apenas zelar pela conservação da natureza e destas espécies, que estão abrigadas no olival durante a noite, mas caso sejam detetadas infrações, não temos outra alternativa, que não seja aplicá-la”.

ICNF que nesta campanha olivícola intensifica a fiscalização para evitar a apanha noturna de azeitona, que causa a morte a muitas aves.