COP 26 em destaque no “Ambiente em FM”

Começou ontem, dia 31 de outubro, em Glasgow, na Escócia, a COP 26, a 26ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas.

Na edição desta semana do programa “Ambiente em FM”, José Janela, da Quercus, explica a importância desta conferência, recordando o apelo feito pelo secretário-geral da ONU, António Guterres, aos grandes líderes mundiais, para a “catástrofe climática” que se caminha.

“O Painel Intergovernamental sobre Alterações Climáticas, IPCC na sigla em inglês, publicou um relatório, com base em investigações científicas de todo o mundo, que indica que há provas inequívocas que as emissões de Gases com Efeito de Estufa estão a ter um efeito no aumento da temperatura média global. Já houve um aumento médio de 1,1º C desde antes da era industrial, da altura em que se começou a queimar carvão na indústria, e que vai alcançar-se um aumento de 1,5ºC nas próximas duas décadas. Esse aumento leva a alterações climáticas globais que já se fazem sentir. Da subida do nível médio das águas do mar e inundações, à acidificação do oceano, passando pelo aumento dos incêndios florestais”, revela o ambientalista.

Esta conferência, adianta José Janela, “também incluirá uma reunião das partes sobre o protocolo de Kioto, que tem como objetivo reduzir a emissão mundial de 6 gases com efeito de estufa, bem como a reunião das partes do Acordo de Paris”. O acordo de Paris, que foi assinado na COP21, em 2015, “tem como objetivo reduzir as emissões de gases com efeito de estufa, com objetivos por países, para que a temperatura não ultrapasse um aumento de 2ºC em relação aos níveis pré-industriais”. Esta conferência, diz ainda, “deve trazer medidas concretas por parte de cada um dos países, com compromissos de redução com um calendário que impeça uma catástrofe climática”.