Estudo sobre osgas tropicais dos barcos negreiros no “Ambiente em FM”

O biólogo alentejano, Luís Ceríaco, em colaboração com outros investigadores, desenvolveu um estudo sobre uma osga tropical, originária de África. Trata-se de uma espécie muito comum em países tropicais e, para este estudo foi feita uma análise genética da mesma e a forma como apanhou boleia nos barcos negreiros, que transportaram pessoas escravizadas

José Janela da Quercus explica que, com este estudo chegou-se à conclusão de que “a tragédia do tráfico de pessoas criou as condições para que esta espécie de osga tenha invadido os trópicos, a partir de África, tendo servido de boleia desta espécie, para a América”.

Esta espécie de osga “é inofensiva para o ser humano”, no entanto, como revela José Janela, “cria problemas às restantes espécies nativas, retirando-lhes habitats e terreno”.

O estudo do biólogo alentejano, Luís Ceríaco, sobre como as osgas tropicais foram transportadas nos barcos negreiros é o tema em destaque esta semana no “Ambiente em FM”.