Restrições alimentares nas escolas em Montemor-o-Novo

O novo despacho do Governo vem proibir e restringir a venda de certo tipo de produtos nas cantinas e bares das escolas públicas.

Idalina Bento, diretora do Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo, explica que esta é uma medida que tem como objetivo promover uma alimentação mais saudável, junto das crianças e jovens, dos diferentes níveis de ensino. “Relativamente às novas orientações, quanto aos produtos a disponibilizar nos bufetes, bolos com creme, salgados, tudo o que seja massas folhadas, sumos com percentagem inferior a 50%, também não são permitidos”, informa a diretora.

No que toca às ementas, nas cantinas do Agrupamento, “já respeitam muito as orientações que existiam anteriormente, que já iam sempre no sentido de oferecer um prato vegetariano, refeições equilibradas e pratos especiais para pessoas com dietas”.  Idalina Bento revela ainda que este é um processo que é acompanhado por um nutricionista e por um técnico do HCCP.

Neste momento, algumas das alterações ainda não foram feitas, uma vez que “ainda estamos a ver, dentro dos contratos que tínhamos, aqueles que podemos rescindir”, havendo a possibilidade de, alguns deles, de momento,  não serem rescindidos, devido às cláusulas contratuais. No agrupamento de escolas de Montemor-o-Novo, Idalina Bento, informa que, para além das opções saudáveis que já existiam nos bares e cantinas, como “sandes, fruta, iogurtes, sumos com índice de fruta superior a 50%, as águas e as sandes de carne assada, com alface e tomate”,  sendo agora inseridas sandes de atum, ao natural, com alface, tomate e cenoura e ovos cozidos. A diretora revela também que está a ser pedido o apoio da Tutela, de modo a que se possam esclarecer algumas dúvidas relativamente às ofertas a disponibilizar nos bares, nomeadamente formação em relação à elaboração das fichas técnicas e disponibilização dos produtos nos bufetes “porque, por exemplo, não podemos vender pastéis de nata, mas podemos vender bolos à fatia. No entanto, há bolos à fatia que têm mais gordura, do que pastéis de nata. São nestas questões que nós precisamos de alguém que nos consiga orientar”, revela Idalina Bento.

As máquinas de venda automática, que no ano passado foram essenciais para fazer face às necessidades dos alunos têm aulas depois do encerramento do bufete, também foram retiradas das escolas, uma vez que os produtos disponíveis não cumprem com as normas impostas pelo Governo. A diretora do agrupamento revela que, em ralação às reações dos alunos do ensino secundário, perante estas restrições, “têm ido às pastelarias e aos cafés aqui das redondezas”.

Idalina Bento acrescenta ainda que o agrupamento tem um gabinete de saúde, em articulação com o Centro de Saúde de Montemor, que está a planificar diversas iniciativas, com o objetivo de promover hábitos para uma alimentação mais saudável.

Esta é uma iniciativa implementada, em todas as escolas públicas do país, de modo a promover uma alimentação mais saudável, junto dos estudantes, estando já em prática no Agrupamento de Escolas de Montemor-o-Novo.