Futebol: U. Montemor é eliminado pelo Vilaverdense na Taça de Portugal

Este sábado, houve Taça de Portugal em Montemor-o-Novo, com a 2.ª eliminatória, com o Grupo União Sport a perder no 1.º de Maio, por 0-2, com o Lank Vilaverdense.

Sobre este jogo, que a RNA acompanhou com relato, a equipa treinada por João Guerra apresentou-se com muitas contrariedades. Para além de baixas no setor ofensivo, com destaque para Edi e Miguel Serrano, no aquecimento, Josemar, aquele que tem sido o patrão da defesa, lesionou-se, e foi substituído por André Capucho. Dar nota que Tiago Minhoca, jovem avançado da equipa B do GUS, ser a única opção atacante no banco de suplentes.
Desde muito cedo, o domínio do jogo foi para a equipa forasteira, com o União a defender-se como podia e a explorar o contra-ataque. Aos 13 minutos, Gonçalo Teixeira cabeceou para grande defesa do capitão Nuno Brás, que regressou à titularidade nesta partida. Os minutos passavam e o domínio do Vilaverdense acentuava-se, num autêntico massacre à formação montemorense. Aos 19 minutos, Soares bateu um livre, com a bola a passar muito perto do poste direito do União. À passagem da meia hora de jogo, o União deu um ar da sua graça, criando duas ocasiões que incomodaram a equipa nortenha. Após um período de menor intensidade, o Vilaverdense acentuou a pressão no final da 1.ª parte, criando mais algumas oportunidades, com uma delas a ir à barra. Ao intervalo, mantinha-se o nulo no marcador, um resultado muito lisonjeiro para o União, perante um domínio quase total e um acumular de oportunidades enorme para o Vilaverdense, que não vencia, sobretudo, por ineficácia.
A 2.ª parte iniciou sem alterações nos 11 iniciais. Após 10 minutos, notou-se menor domínio por parte do Vilaverdense, ainda assim, houve duas oportunidades criadas. O Vilaverdense foi a primeira equipa a fazer alterações, com Edmilson a render Rui Silva. Aos 63 minutos, após mais uma bola na barra, é assinalada grande penalidade favorável à equipa visitante, por suposta mão de um jogador da casa, com muitos protestos do União. Na transformação, Ruizinho aproveitou para inaugurar o marcador, com a bola a ir para o lado e o guarda-redes para outro. Aos 67 minutos, o Vilaverdense faz dupla substituição, entrando Olatunji e Miguel Pereira, para os lugares de Gabi e Serqueira. À entrada dos últimos 15 minutos da partida, o União faz tripla alteração, com João Azinhais, Rui Pereira e Denilson a substituírem André Capucho, João Machado e Mangerico. O Vilaverdense, após o golo, baixou a intensidade do jogo. Aos 78 minutos, o União passou a jogar com 10 unidades, com o central Leonardo Pereira a ver o segundo amarelo, e consequente vermelho. Aos 80 minutos, no Vilaverdense, Gonçalo Teixeira e Nandinho saem, dando lugar a Bruno Silva e Armando. Pouco depois, o União sofre o segundo golo da tarde, concretizado por Edmilson. Com o jogo praticamente sentenciado, João Guerra dá um prémio ao jovem Tiago Minhoca, que entrou para o lugar de Bruno Machado.

O término do encontro chegaria, com a vitória do Vilaverdense a não sofrer qualquer contestação, sendo inclusivamente um resultado simpático, perante um adversário com um poderio muito superior ao do GUS. Desta forma, o União é eliminado da Taça, caindo de pé, com destaque para André Capucho, até ter forças, e Nuno Brás, que foram os melhores do União esta tarde.

Oiça e veja aqui a reportagem final a esta partida.