Espaço do Tempo é palco das últimas apresentações de “Ainda Estou Aqui”

“Ainda Estou Aqui” chegou ao fim das suas apresentações no passado fim-de-semana, dias 10 e 11 de setembro, na Blackbox do Espaço do Tempo, em Montemor-o-Novo. A peça, que venceu a bolsa Maria Rey Colaço, é uma iniciativa promovida pelo Espaço do Tempo, o Centro Cultural Vila Flor em Guimarães, o Teatro Nacional D. Maria II em Lisboa e o Teatro Viriato em Viseu.

O encenador da peça premiada, Tiago Lima, que sempre estudou enquanto ator revela que, ao longo do seu percurso, começou a questionar-se e rapidamente percebeu que a escrita era o caminho a seguir, explicando que esta foi uma ideia que surgiu após a estreia do seu primeiro espetáculo ““Dave, Queda Livre”, em 2019, “ a partir de uma cena, na qual, o Bruno Ambrósio, o protagonista desta peça, entrava a meio do espetáculo e fazia um falso intervalo” onde falava sobre o tédio e o entretenimento. Deste modo, surgiu o conceito para este espetáculo/concerto que vai acabar por correr mal, culminando na morte, em palco, do protagonista que acredita que este é o melhor entretenimento que pode oferecer ao seu público.

“Ainda Estou Aqui” retrata a busca constante que o ser humano tem de saciar os seus desejos e descobrir aquilo que é, teve como influências principais, no que toca à construção de personagens, bem como da dinâmica em palco, algumas personalidades polémicas conhecidas do mundo da música, “os discursos do Jim Morrison, nos concertos, muitos filmes que assistimos em residência sobre o Ian Curtis, The Doors”. Quanto à escrita da peça, Andy Kaufman, ator norte-americano, foi a inspiração principal para a escrita do tom cómico da peça.

Apesar de não ter sido possível apresentar “Ainda Estou Aqui”, no Teatro Curvo Semedo, em Montemor-o-Novo, Tiago Lima afirma que ficou satisfeito por levar a sua peça à Blackbox, uma vez que “já acompanhava há muitos anos o trabalho do Espaço do Tempo”, confessando que ficou feliz por ser um dos artistas residentes, neste palco. O encenador revela que, como foi o vencedor da 3ª edição da bolsa Maria Rey Colaço, foi-lhe possível trazer o espetáculo a Montemor, uma vez que o Espaço do Tempo é um dos promotores deste prémio que tem como objetivo apoiar a produção de espetáculos de jovens artistas e companhias emergentes, promovendo a renovação da criação teatral portuguesa.

Tiago Lima, encenador de “Ainda Estou Aqui” revela ainda que espera regressar a Montemor-o-Novo e que, o balanço dos dois dias de apresentação da peça, foram bastante positivos, sempre com bilheteira esgotada.