Reutilizar materiais escolares: uma opção que já se vai tornando regra

O início do mês de setembro é sinónimo, para muitos pais, de preparar o regresso dos filhos à escola, com a já habitual compra de materiais escolares.

Agora, e para tornar este regresso às aulas mais verde, a preocupação com a sustentabilidade é diferente de outros tempos, com a sociedade cada vez mais ciente da importância que as decisões de consumo têm para fazer face às alterações climáticas.

Segundo um estudo recente, levado a cabo em Portugal, 60 por cento dos encarregados de educação concordam que é fácil tornar as compras do regresso às aulas mais sustentáveis, com a mesma percentagem a revelar que compra apenas o material escolar necessário. Já 49 por cento optam por reciclar materiais.

A Rádio Nova Antena saiu à rua, para perceber, junto dos ouvintes, pais de crianças e jovens em idade escolar, que cuidados têm na escolha dos artigos escolares e se procuram reutilizar os materiais de outros anos.

Fátima Ouro, por exemplo, garante que os filhos reutilizam os seus materiais “até dar”. Só compra novos quando é mesmo necessário. Já Jorge Sousa revela que, em casa, tem incutido nos filhos os princípios da reciclagem e da reutilização, o que acontece, também, ao nível dos materiais escolares.

Já Fernanda Trindade não esconde que todos os anos compra uma mochila nova para o filho, a seu pedido. Lápis de cor, canetas, marcadores e outros materiais, por outro lado, são sempre reutilizados. Na hora de escolher produtos mais amigos do ambiente, Fernanda Trindade explica que até pode “pensar nisso”, mas que as exigências feitas pelos professores, no início do ano letivo, nem sempre o possibilitam.