Férias e vacinação fazem diminuir dádivas de sangue em Montemor

Foto: Facebook Associação dos Dadores Benévolos de Sangue do concelho de Montemor-o-Novo

Com o verão, todos os anos se regista uma quebra na quantidade de colheitas de sangue efetuadas, ainda que o Instituto Português do Sangue tenha esclarecido na semana passada que as reservas têm mantido níveis de estabilidade, que permitem dar resposta às necessidades.

Este verão, tal como no ano passado, e tendo em conta a pandemia, a situação, em Montemor, encontra-se estável, ainda que se registe uma ligeira quebra ao nível dos dadores, desde junho.  Esta situação, de acordo com o presidente da Associação de Dadores Benévolos de Montemor, Floriano Saiote, pode estar relacionada com o intervalo de tempo em que uma pessoa pode doar sangue, depois de levar a vacina contra a Covid-19. “Há sete dias de intervalo entre levar a vacina e o poder dar sangue e eu acho que isso também se fez sentir”, garante.

Desde o início da pandemia que as dádivas de sangue são feitas através de marcação, que, nas duas últimas, adianta Floriano Saiotes, não correram tão bem como gostaria. Um problema informático, por parte do Hospital de Évora, acabou por atrasar “um bocadinho as dádivas”.  “Talvez tenha havido ali algum aborrecimento dos dadores, por estarem mais tempo à espera do que era hábito, mas acho que as coisas são vão estar sanadas e as marcações que temos para agosto estão a correr bem”, acrescenta.

A próxima colheita está marcada para domingo, dia 15 de agosto, entre as 9.30 e as 13 horas, na sede da associação, na Rua de Mora, nº5. As marcações podem ser feitas através das redes sociais ou do contacto 928 022 350.