Banda Carlista quer aumentar número de alunos já a partir de setembro

Apesar das incertezas, tendo em conta os tempos que se vivem, com a pandemia, a Banda Carlista, que assinalou recentemente 160 anos desde a sua fundação, em Montemor-o-Novo, pretende, em setembro, fazer crescer o número de crianças e jovens que nela aprendem a tocar um instrumento musical.

Como tal, revela o presidente da direção, Pedro Barreiros, serão desenvolvidas algumas atividades, para explicar, tanto aos mais novos, como aos seus pais e encarregados de educação, todo o trabalho desenvolvido no seio da coletividade. “Queremos dinamizar algumas atividades para os mais novos, depois de tanto com necessidade de estar tanto tempo fechados em casa”, começa por dizer.

“A Carlista terá as portas abertas, quer para os alunos, quer para os pais, quer para Montemor, para termos ali um espaço de convívio e de crescimento, a vários níveis, não só musical, que é nosso principal objetivo”, revela Pedro Barreiros. Essa oferta, quer acreditar, poderá vir a diferenciar a Carlista e a permitir que mais pessoas venham a fazer parte desta “família”.

Quanto ao ensino de música, existe uma panóplia de instrumentos disponíveis, ao nível do sopro e da precursão: desde o clarinete, à flauta, passando pela bateria, pelo trompete, o trobone, o bombardino, a tuba, até à trompa de harmonia.