Testes Covid financiados a 100% com custos acrescidos para as farmácias

De acordo com o Infarmed, no distrito de Évora são cinco as farmácias que comparticipam os testes rápidos de antigénio a cem por cento: a farmácia Santiago Maior, no concelho de Alandroal, Farmácia da Misericórdia, em Arraiolos, Central, em Mora, farmácia da Misericórdia de Portel e Viana, em Viana do Alentejo.

No distrito de Portalegre, são duas: a farmácia Central, em Campo Maior, e a Esteves Abreu, em Portalegre.

Para que as farmácias pudessem realizar estes testes, teriam de se candidatar, pelo que esta questão é facultativa. Ana Neto, diretora técnica da farmácia Central, em Campo Maior, adianta que as “farmácias foram informadas que o Estado iria comparticipar com um valor máximo de dez euros, cada teste, e a farmácia interessada tinha que fazer o seu registo no Infarmed e na Associação Nacional das Farmácias. Só depois disso haveria ordem para que começar a fazer a testagem”.

Por este valor, revela Ana Neto, “muitas farmácias, não aderiram porque os testes são caros e os EPI’s são caros, e no nosso caso, somos poucos, em termos de recursos humanos, por isso tivemos que alocar um enfermeiro, que é caro, mas muitas farmácias não aderiram por este motivo, uma vez que poderiam ter prejuízo”.

Ana Neto diz ainda que no caso da farmácia que dirige, em Campo Maior, o objetivo, e apesar dos custos que acarreta, “o que pesou foi o bem-estar da população da vila, mas também localidades próximas, tendo havido uma grande afluência”. Para si, “é importante a testagem massiva, para que se evitem as cadeias de transmissão e evitar que a zona piore ou agrave, não vamos deixar que Campo Maior avance para uma situação grave, daí não termos olharmos para trás, quando nos perguntaram se queríamos fazer parte das farmácias que realizam este tipo de testes”.