João Mota trilha o país a pé contra a violência doméstica

JoaoMota
João Mota, de Alcobaça, é psicólogo clínico e um amante do exercício físico. Depois de um ano a adiar viagens e maratonas, decidiu manter o foco e não abdicar do objetivo de continuar ativo.

No passado dia 30 de maio, a partir de Chaves, deu início a uma nova aventura: a Estrada Nacional 2. São 738 quilómetros, 24 dias de caminhada, a tentar superar expectativas.

Esta caminhada, em que João Mota atravessa, sozinho, o país de Norte a Sul, é feita “contra a violência doméstica”. Na passada quarta-feira, chegou a Montemor-o-Novo e Paulo Canas esteve à conversa com ele.

O psicólogo revela que a ideia desta caminhada, tendo por trás esta causa, surge da profissão que exerce na Câmara Municipal de Alcobaça. João Mota trabalha, enquanto psicólogo, num gabinete de apoio às vítimas de violência doméstica.

O número de casos de violência doméstica, não tem dúvidas João Mota, aumentou, durante este período de pandemia e no decorrer dos confinamentos, sendo que, nos últimos mais tempos, mais pessoas recorreram ao apoio à vítima, no seu gabinete.

Desde o início da sua caminhada, o psicólogo tem contado com a ajuda por parte da população das localidades por onde tem passado. Diz-se sem palavras para agradecer o apoio destas pessoas, assegurando que aquilo que tem feito nada tem a ver com o sofrimento das vítimas de violência doméstica.

Esta caminhada de João Mota, ao que tudo indica, terminará na próxima quarta-feira, dia 23, com a chegada a Faro.