Banco Alimentar de Évora apela à dádiva de alimentos

banco alimentarDe acordo com os dados da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, no ano passado, os 21 Bancos Alimentares em atividade em Portugal distribuíram mais de 29 mil toneladas de alimentos.

Com o objetivo de dar uma resposta imediata às pessoas que ficaram sem trabalho ou que se viram impedidas de trabalhar e, consequentemente colocadas numa situação de pobreza conjuntural que, na maioria dos casos, lhes era estranha, a Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares participou na Rede de Emergência Alimentar.

Francisca Sousa, membro da direção do Banco alimentar Contra a Fome de Évora, refere que “é graças a esta rede de emergência alimentar que o banco tem alguma reserva de alimentos no seu armazém, pronta a dar resposta a situações urgentes que costumam aparecer. Apelamos sempre para que as pessoas façam a sua doação porque, obviamente, precisamos muito de encher o nosso armazém que é muito grande e tem poucos alimentos em relação às nossas necessidades”.

A gestão dos alimentos tem sido feita “da forma mais rigorosa possível. Temos apelado também às empresas, sobretudo supermercados, para que doem alguns alimentos que já não podem colocar nas suas prateleiras, ou porque têm pouca validade ou porque há algum erro de rotulagem. Podem fazer doação e ainda têm contrapartidas de âmbito fiscal”.

Em parceria com cerca de 2.700 instituições e entidades, que operam no terreno, acompanhadas pelo Banco Alimentar da respetiva região, os alimentos contribuíram para a alimentação de 450 mil pessoas com carências comprovadas, sob a forma de cabazes ou de refeições confecionadas.