“Aceitar a doença de Parkinson é muito difícil”, diz João Casaca

ParkinsonO Dia Mundial da Doença de Parkinson assinala-se hoje, dia 11 de Abril.

A doença de Parkinson é uma doença neurológica degenerativa do sistema nervoso central, ainda sem cura, pautada por sintomas como “o tremor, a rigidez ou a instabilidade postural. No entanto, podem também surgir sintomas relacionados com a dificuldade de dormir, a obstipação ou a depressão. É uma doença que não tem cura mas que, com os tratamentos farmacológicos e com as diversas terapias, pode dar alguma qualidade de vida aso doentes”, como nos referiu João Casaca, vice-presidente da Associação portuguesa de doentes de Parkinson.

Esta associação apoia o doente em várias fases, disponibilizando apoio psicológico e ao nível das terapias. “Numa primeira fase ajudamos a pessoa a perceber o que é a doença, quer através de um manuel, quer através de telefone. Temos uma psicóloga disponível para acompanhar os nosso doentes e apoiamos na terapia da fala, fisioterapia, entre outras. Não conseguimos chegar a todo o país, porque não temos delegações, mas atualmente temos vários projetos, online, em que as pessoas se podem inscrever e participar gratuitamente”.

Para João Casaca, o apoio psicológico tem uma importância muito grande porque “a fase de aceitação da doença pode ser muito difícil. E depois, é preciso aprender a lidar com aspetos que a doença traz. Nesse sentid, o apoio psicológico é essencial não só para o doente mas ptambém para o cuidador”, garante João Casaca.

A Associação portuguesa de doentes de Parkinson tem o lema “Dia Não ao isolamento” e apela aos doentes “para que não se isolem. É verdade que devem ficar em casa mas liguem para a associação e mantenham-se ativos”.

A doença de Parkinson afeta cerca de 20 mil portugueses, de ambos os sexos, com uma ligeira preponderância para o sexo masculino. Estima-se que no mundo existam 10 milhões de doentes de Parkinson.