Censos 2021: “o recenseador não entra na casa de ninguém”, alerta António Fitas

DSC_1934Os códigos para preencher os questionários dos Censos 2021 começaram a ser entregues na segunda-feira, dia 5 de abril, em todo o país.

O recenseamento, que se realiza de dez em dez anos, tem por objetivo contar e caracterizar a população portuguesa, sendo que a resposta é obrigatória, devendo, desta feita, ser feita pela internet.

António Fitas (na foto), presidente da Junta de Freguesia de São Cristóvão, no concelho de Montemor-o-Novo, explica que a população deverá responder ao inquérito, sendo que os recenseadores vão entregar uma carta a casa, com os códigos necessários: “O recenseador vai passar, na porta de cada uma das nossas casas, irá entregar um envelope com os códigos para, a partir do dia 19 de abril, puderem ser aqueles códigos utilizados na internet e responder aos questionários que, em há dez anos, utlizávamos em papel”.

Tendo em conta que o recenseamento, muitas vezes, é associado a fraudes e burlas, António Fitas explica que os recenseadores “não entram em casa de ninguém”, apresentando-se com um colete amarelo com a indicação dos Censos 2021. “O recenseador encontra-se devidamente identificado, com um cartão, onde está a fotografia e o nome daquele recenseador”, adianta.

A resposta pela internet é obrigatória. Quem não o conseguir fazer, pode telefonar ou ir à junta de freguesia. Nos últimos censos, em 2011, metade das respostas aos questionários foram dadas pela internet. Este ano espera-se que mais de 80% o faça dessa forma.