Compra de bens em segunda mão na rúbrica da DECO

Helena GuerraA compra de bens em segunda mão tem tido cada vez mais adesão por parte dos consumidores.

Um dos bens mais comprados em segunda mão são os veículos automóveis. Esta opção é muitas vezes tomada porque, para o consumidor, pode ser uma forma de adquirir um bem em bom estado e com um preço mais razoável.

No entanto, há que ter em atenção que, “quando a compra é feita a um particular, o vendedor não é obrigado a dar qualquer tipo de garantia”, de acordo com Helena Guerra (na foto), do Gabinete de Projetos e Inovação da DECO.

Helena Guerra garante que a obrigação de garantia aplica-se apenas a empresários. No entanto, mesmo nestes casos há algumas particularidades, uma vez que “quando o produto é usado, o vendedor pode reduzir a garantia para um ano, desde que haja acordo com o comprador”.

A DECO alerta que não há garantias inferiores a um ano, seja para produtos novos ou em segunda mão, quando comprados a empresas. No caso do negócio ser feito entre particulares, o vendedor não é obrigado a dar garantia. A compra de produtos em segunda mão e os vários tipos de garantia são o tema da edição desta semana da rubrica da DECO.