Litoral Alentejano exige rapidez nos projetos ferroviários e rodoviários

LinhaFerroviaria-300x201Os autarcas do Litoral Alentejano  manifestaram, ao ministro das Infraestruturas e da Habitação, a sua preocupação pelos atrasos na execução das obras dos projetos ferroviários e rodoviários previstos para a sua região, tendo exigido ao governo rapidez na execução dos trabalhos.

A Comunidade Intermunicipal do Alentejo Litoral (CIMAL) salienta, em nota que imprensa, que estes atrasos prejudicam «a segurança das populações e o desenvolvimento económico dos concelhos» que integram esta estrutura – Odemira, Sines, Santiago do Cacém, Alcácer do Sal e Grândola.

Vítor Proença, o presidente da CIMAL e do Município de Alcácer do Sal, reuniu com o ministro Pedro Nuno Santos, pediu “a atenção para os investimentos económicos em curso, mas que apresentam défices enormes, particularmente no que diz respeito aos acessos rodoviário e ferroviários. Estes atrasos não se podem manter”.

A CIMAL considera urgente a reparação do IC1, entre Palma e Alcácer do Sal, assim como da Estrada Nacional 253, entre a Comporta e Alcácer. Uma das obras exigidas é a criação de bermas nesta estrada, tendo o perigo que representa para os automobilistas e o grande tráfego.

Os autarcas do Litoral Alentejano questionaram ainda o ministro sobre a nova linha ferroviária Sines-Grândola, destinada ao tráfego de mercadorias, tendo obtido a informação de que estão a ser projetados melhoramentos no corredor Sines-S. Cacém-Ermidas- Grândola-Alcácer do Sal.