Casamentos, batizados e crismas não se podem realizar durante confinamento

igreja-do-calvarioUm comunicado da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) refere que face à situação de pandemia que vivemos, as celebrações como casamentos, batizados e crismas, serão suspensas ou adiadas para momentos mais oportunos.

José Morais, pároco na União de Freguesias de Nossa Senhora da Vila, Nossa Senhora do Bispo e Silveiras mostra-se surpreendido com este comunicado e salienta que “relativamente aos batismos, crismas e matrimónios, a Conferência Episcopal diz que se devem adiar durante o confinamento geral”.

O sacerdote relembra que não há encerramento das igrejas “e a eucaristia decorrerá do modo que temos feito habitualmente, com o distanciamento social, com a higienização, com o uso de máscara. Acho que neste ponto temos sido exemplares e temos tido todos os cuidados para não haver focos de contágio nas igrejas”

Quanto às catequeses “têm estado a decorrer e sendo possível continuar em regime presencial, vamos continuar”.

O pároco relembra que nos três primeiros meses do ano não se costuma realizar casamentos e os batizados são muito reduzidos. Quanto ao crisma, esta terá que ser adiada.