Plano e orçamento de 2021 em Évora dão “resposta necessária”

camara evoraAs Opções do Plano e Orçamento do Município de Évora para 2021 “dão a resposta necessária e possível, no âmbito das competências e recursos do Município, aos principais problemas que se colocam à população e ao concelho”, segundo Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara Municipal

Neste documento, destacam-se: o Plano Municipal de Emergência para Combate à Covid-19; o aumento do investimento público municipal e do apoio à economia local para minimizar o enorme impacto negativo da crise económica e social; a isenção das taxas (não reguladas) às micro e pequenas empresas afetadas pela pandemia; a isenção da derrama para as micro e pequenas empresas com negócios até 150 mil euros; a redução de IMI para 0,43%; o alargamento do apoio social às famílias e cidadãos mais carenciados; e o reforço do apoio às associações e instituições sem fins lucrativos.

A aprovação das Opções do Plano e do Orçamento Municipal decorreu das negociações com todas as forças políticas representadas no Município, como aconteceu em todos os anos anteriores. Registou-se este ano, ao contrário do que aconteceu no ano passado, a disponibilidade do PS local, para uma negociação séria que permitiu um acordo mínimo.

Contudo, estas Opções do Plano e Orçamento Municipal “poderiam ter ido muito mais além, não fosse o descalabro e a “falência técnica” que a gestão do PS deixou em 2013 e que, ainda hoje, todos continuamos a pagar”, afirma o autarca da CDU.

Apesar do “brutal impacto da pandemia, em 2021 prosseguirá a capacidade de resiliência de Évora, acima da média nacional, e a retoma da trajetória de desenvolvimento reiniciada no final de 2013 com a atual gestão municipal e com o empenho da população, das empresas e das instituições de Évora”, assegura Carlos Pinto de Sá.