Portalegre defende eletrificação da Linha do Leste

Flickr_-_nmorao_-_PK_142,_Linha_do_Leste,_2009.09.15A presidente da Câmara Municipal de Portalegre, Adelaide Teixeira, informou,  que se congratula com o facto de o Programa Nacional de Investimentos (PNI) 2030 incluir a eletrificação da Linha do Leste e a aproximação da estação à cidade, “uma reivindicação antiga dos portalegrenses, assumida a 5 de setembro de 2018, nos contributos enviados para a execução deste PNI”.

A autarca assumiu também que espera que as restantes sugestões apresentadas pelo município ainda possam vir a ser incluídas, seja no PNI 2030 ou inclusivamente no Plano de Recuperação e Resiliência, referindo “que se trata de intervenções estruturais e estratégicas para a nossa região”: a conclusão do IC13 permitindo a ligação Lisboa – Madrid, a melhoria do IP2 como ligação estratégica entre a A23 e a A6, a construção da Escola da GNR, a modernização e ampliação do hospital de Portalegre”, entre outras.

Integrada nos contributos enviados ao Governo em 2018, a eletrificação da Linha do Leste faz parte integrante dos grandes investimentos para a região que a presidente tem defendido em diferentes fóruns, a nível local, regional e nacional. No documento aprovado e enviado referia-se: “é inconcebível que a capital do Alto Alentejo não disponha de uma linha de caminho-de-ferro modernizada e eletrificada que sirva, efetivamente, as necessidades deste território, quer em termos de transporte de pessoas quer de mercadorias. Com a perspetiva de construção da plataforma logística do Caia é essencial que a rede ferroviária seja uma estrutura ao serviço de toda a região”.