Museu de Évora encerra por falta de funcionários

museuevoraO Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo, em Évora, encerra as suas portas aos segundso fins-de-semana de cada mês, durante o verão, por falta de pessoal que acegure a abertura do mesmos e o seu normal funcionamento.

“Contamos com três assistentes técnicos, um deles de baixa médica e que vai ser prolongada”, pelo que estão a trabalhar “duas únicas funcionárias” responsáveis por bilheteira, portaria, informações e vigilância, entre outras tarefas, explicou o diretor do museu, António Alegria.

Para funcionar na sua plenitude o museu precisava de 12 funcionários, mas apenas conta com três colaboradores.

E, como os funcionários trabalham de terça-feira a domingo, incluindo fins de semana e feriados, têm “dias de folga”, nomeadamente “têm direito ao gozo de um fim de semana por mês”, referiu António Alegria, que, por isso, decidiu “fechar as portas” da instituição a cada 2.º fim de semana de Julho, Agosto e Setembro.

O responsável, que dirige o museu há quase nove anos e é funcionário da instituição há 33, referiu que a DGPC abriu recentemente um concurso externo, “pela primeira vez em 15 anos”, para duas vagas para funcionários desta categoria, mas tal não resolve o problema.