Arcebispo de Évora apela à oração solidária com população de Mora e Ciborro

ArcebispoEvoraO Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho apelou, através do facebook da Arquidiocese, à oração solidária para com a população de Mora e Ciborro (Montemor-o-Novo).

Assim, o Arcebispo afirma que “ao recebermos as notícias sobre a evolução da pandemia da Covid-19 na Vila de Mora e na Freguesia do Ciborro, sentimo-nos humana e cristãmente impelidos a estabelecer vínculos espirituais de Comunhão através da oração fraterna e de toda a solidariedade necessária com aqueles irmãos nossos, com aquelas populações em aflição. Eis-nos aqui, Arquidiocese de Évora, pronta para estabelecer uma forte Corrente de Oração pelas Paróquias de Nossa Senhora da Graça de Mora e Nossa Senhora de Fátima do Ciborro, no Concelho de Montemor-o-Novo, a fim de que continuem a encarar com coragem e unidade a dolorosa provação porque estão a passar”.

O Arcebispo convocou “com urgência” todas as Comunidades Cristãs da Arquidiocese e cada Cristão, individualmente, dizendo “vamos todos rezar unidos aos Irmãos de Mora e Ciborro pelo controle e fim da pandemia naquelas localidades!”

O Arcebispo de Évora cumprimenta com respeito e solidariedade todas as pessoas atingidas e em sofrimento nas entidades representativas das comunidades mais atingidas que são os Srs. Presidentes das Câmaras Municipais de Mora e Montemor-o-Novo, bem como os presidentes de Junta e respetivo executivo de Mora e Ciborro. “A todos peço: Que ninguém se sinta sozinho no meio de muita gente e que nos sintamos todos unidos em rede.”

Na publicação pode ainda ler-se “rezo e volto a consagrar as duas comunidades a Nossa Senhora, a Mãe de Jesus, sua Padroeira, lembrando-lhe de modo muito especial os hospitalizados, os mais idosos, os débeis, dependentes e sós. Peço a Deus todas as luzes de sabedoria e toda a fortaleza em forma de contínua generosidade para os agentes médicos, Socorristas, entre os quais os nossos soldados da Paz, os Bombeiros; a Proteção Civil e Agentes da Segurança, bem como a eficaz proteção da sempre boa e leal vizinhança. Que todos se entreajudem pelo cumprimento das rigorosas normas de segurança.”

“Unido aos vossos Párocos, por intercessão da vossa padroeira, imploro o socorro de Deus para as queridas populações de Mora e Ciborro. Com apreço, total disponibilidade para colaborar e particular preocupação e proximidade”, termina D. Francisco Senra Coelho.