“Se isto é um milagre, o milagre chama-se Portugal” Marcelo Rebelo de Sousa

MarceloRebeloDeSousaO Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, anunciou hoje a segunda renovação do Estado de Emergência, fazendo votos de que seja “a segunda e última renovação do estado de emergência para vigorar até às 24 horas do dia 2 de maio”.

Marcelo referiu na sua comunicação ao País que “estamos agora mais próximo do fim de abril, o mês decisivo para ganharmos a segunda fase. E estamos a ganhar essa segunda fase”.
Para o presidente há três razões para renovar estado de emergência, de forma a dar “tempo e espaço ao governo para preparar o regresso e definir critérios”

O presidente enumerou as três razões para o ter feito esta renovação:

“A nossa tarefas nos lares precisa de mais algum tempo: detetar, isolar, despistar é importante para quem lá vive mas também para quem está cá fora. Consolidar essa tarefa em clima de contenção é imperativo”
“Somos o 4º país da Europa que mais testa por número de habitantes, mas o número fica abaixo dos 20 mil ou 30 mil que admitia há uma quinzena, temos de continuar a estabilizar o número de internamentos, por forma a assegurar que o nosso SNS se encontrará em condições de responder à evolução do surto em caso de aumento progressivo dos contactos sociais. Uma coisa é conviver com o vírus em atividade aberta, sabendo que a situação está controlada e que existe um sistema de vigilância e monitorização adquirido, outra bem diferente é provocar recuos e recaídas”.
“A renovação está pensada de tal modo que dá tempo e espaço ao governo para estudar e preparar para depois, no fim de abril, a abertura gradual da sociedade e da economia, atendendo a tempo, modo, território, áreas e setores, com a preocupação de criar segurança e confiança nos portugueses para que possam sair de casa sem se correr o risco de passos precipitados e contraproducentes”.

<strong></strong>