Mensalidades das Creches? Há varias situações

587987Com os estabelecimentos de ensino encerrados desde o dia 16 de março, devido à Covid-19, os pais tiveram que reformular toda a rotina familiar para cuidar dos filhos, sobretudo os menores de 12 anos.

O Governo criou um apoio para que um dos elementos do agregado familiar possa ficar em casa e receber 66 por cento do vencimento bruto.

No entanto, apesar deste apoio, o rendimento mensal das famílias sofreu alterações e, em tempo de crise, não é fácil gerir as despesas. A juntar a todas as despesas já existentes, vem o pagamento da mensalidade da creche, que muitas instituições reivindicam, apesar de se encontrarem encerradas.

A presidente da Associação de Creches e Pequenos Estabelecimentos, Susana Batista, considera que “esse pagamento é essencial para a continuidade das instituições. As creches continuam a ter despesas, muitas delas diluídas mensalmente nos pagamentos dos pais. É claro que o pagamento não deveria ser feito na íntegra, mas é essencial que se chegue a um consenso entre ambas as partes para que depois desta situação passar as instituições possam reabrir”.

Em algumas situações foram estipuladas percentagens de pagamento, há casos onde se paga a totalidade e outros, em número reduzido, onde a direção da instituição simplesmente decidiu suspender o pagamento da mensalidade, como é o caso da Santa Casa da Misericórdia de Campo Maior.

A Rádio Nova Antena, foi verificar a situação em Montemor-o-Novo, junto do Lar dos Pequeninos, uma creche de uma IPSS, onde Idália Inácio, Presidente da instituição nos referiu que neste momento estão abertos para crianças cujos pais estão a trabalhar na chamada linha da frente, e, em relação aos restantes utentes estão a cobrar 40%, para manter a instituição a funcionar em pleno.

Idália Inácio, adianta que este ano ao contrário de sempre o Lar dos Pequeninos de Montemor-o-Novo, vai estar a funcionar no mês de Agosto.

Neste momento complicado de COVID-19, muitas são as instituições reivindicam as mensalidades apesar de se encontarem encerradas. O Lar dos Pequeninos de Montemor-o-Novo, está aberto para crianças cujos pais estão a trabalhar nos serviços essenciais , e, em relação aos restantes utentes cujos filhos estão em casa, estão a cobrar 40%, para manter a instituição a funcionar em pleno.