Poluição do ar interior no Ambiente em FM desta semana

Nuno-SequeiraAo contrário da ideia muitas vezes generalizada, a poluição do ar também atinge o interior dos edifícios, sendo muitas vezes mais elevada do que no exterior, e é cada vez mais referida como estando na origem de vários problemas de saúde pública.

As pessoas passam cerca de 90% do tempo dentro de recintos fechados, onde estão frequentemente expostas a um diversificado cocktail de poluentes químicos e biológicos provenientes de fontes várias como o fumo de tabaco, combustão de derivados do petróleo, tintas, vernizes, entre outros.

Nuno Sequeira (na foto), da Quercus, deixa alguns conselhos que devem ser adoptados de forma a prevenir e minimizar os efeitos nefastos deste tipo de poluição como, por exemplo, “manter o edifício ou a habitação bem arejados para evitar a acumulação de poluentes; utilizar plantas de interior pois conseguem fixar poluentes existentes no ar; não fumar, especialmente em locais fechados, nunca deixar o carro a trabalhar na garagem, entre outros”.

 

 

Os riscos mais frequentes de viver num ambiente poluído prendem-se com o desenvolvimento de alergias, dificuldades respiratórias, dores de cabeças, tonturas, náuseas, irritação dos olhos, da pele e das vias respiratórias, perda de capacidades intelectuais e cancro, sendo as crianças e idosos mais sensíveis a estes efeitos.

A poluição do ar interior é o tema da edição desta semana do Ambiente em FM.