Malefícios dos olivais intensivos no Ambiente em FM

Nuno-SequeiraA crescente reconversão do olival tradicional em plantações intensivas de grande escala, recorrendo a métodos de cultivo dependentes de fertilizantes, pesticidas e de quantidades de água insustentáveis tem vindo a ganhar força no Alto Alentejo.

Este tipo de plantação “apresenta muitos malefícios para a saúde pública, sobretudo a nível respiratório, devido ao uso excessivo de pesticidas”, segundo Nuno Sequeira (na foto), da Quercus.

A Quercus pretende que se estabeleça um limite de, no mínimo, 200 metros, em torno das povoações, para que nessa área não seja permitida a instalação desse tipo de culturas.

Os malefícios do olival intensivo para a saúde pública é o tema da edição desta semana do Ambiente em FM.