Apresentação oficial dos resultados finais do Projeto Pé Diabético Alentejo

87547058_2700700896716041_8310133630332567552_oDecorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Montemor-o-Novo, a 20 de fevereiro de 2020, a apresentação oficial dos resultados finais do Projeto Pé Diabético Alentejo – Município de Montemor-o-Novo, pela Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal.
Este foi um projeto que se iniciou precisamente há um ano atrás, a 20 de fevereiro de 2019, com a apresentação do mesmo e assinatura de um Protocolo de Parceria, tendo abrangido os concelhos de Vendas-Novas, Montemor-o-Novo e Alcácer do Sal. Foi dirigido ao Alentejo por ser esta uma das zonas com maior número de amputações e dificuldades de aceder a tratamentos.
A Direção Geral de Saúde foi a entidade financiadora, a Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal foi a entidade promotora e a Câmara Municipal de Montemor foi entidade parceira do projeto, tendo estabelecido a ligação e articulação com as IPSS(s) que trabalham com pessoas idosas, nomeadamente nas respostas de Estrutura Residencial para Idosos, Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário e Centros de Convívio.
Na apresentação estiveram presentes representantes da Associação Protetora dos Diabéticos de Portugal, da Direção Geral de Saúde, do Abrigo dos Velhos Trabalhadores, da ARPI de Montemor-o-Novo, da Associação de Proteção Social à População de Santiago do Escoural e da Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Novo. O Município de Montemor-o-Novo esteve representado pela Presidente da Câmara Municipal, Hortênsia Menino, pelo Vereador Gil Porto e técnicos da autarquia.

O Projeto consistiu, essencialmente, no rastreio de todos os utentes diagnosticados com diabetes das IPSS(s) que aderiram ao projeto: Abrigo dos Velhos Trabalhadores, Associação de Proteção Social à População de Santiago do Escoural, Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Montemor-o-Novo, Centro Social e Paroquial do Ciborro, Centro Social e Paroquial de Santo António, O Girassol, O Sobreiro e Santa Casa da Misericórdia de Montemor-o-Novo.

No total foram realizados 153 rastreios, 197 atendimentos, 268 tratamentos e foi dada formação a 96 pessoas, incluindo as próprias pessoas e cuidadores formais e informais.

Os representantes das IPSS(s) que estiveram presentes e participaram no projeto manifestaram o seu agradecimento, tendo referido que foi uma mais valia terem participado e que seria muito bem vinda a continuidade do projeto nas suas Instituições, uma vez que não tem recursos para dar resposta especializada em todas as áreas.