Grande impacto negativo na produção de cereais

transferir (2)O ano de 2018 teve um grande impacto negativo no que diz respeito à produção de cereais, registando-e uma diminuição de cerca de 25 a 30 por cento em todos os cereais.

Fernando Carpinteiro Albino, Presidente do Clube Português de Cereais de Qualidade, refere que “a falta de chuva e de humidade levou a que a quebra na produção fosse acentuada, nos mais diversos tipos de cereais”.

O também responsável pela marca Cereais do Alentejo garante que “o clima é um dos principais adversários da produção de cereais”. Carpinteiro Albino considera ainda que “as condições meteorológicas dão a obrigação aos produtores de ter cuidado com a gestão da água”.

Para este ano, o Instituto Nacional de Estatística espera uma produção de cereais inferior a 200 mil toneladas.

A estimativa das produções aponta para diminuições, face à campanha anterior, no trigo, no triticale e cevada e na aveia. O centeio, por ser produzido maioritariamente no interior Norte e Centro e não ter sido sujeito a condições meteorológicas tão adversas, deverá manter o nível de produção de 2018.