Futuro do RC3 de Estremoz assegurado, segundo Inspetor-Geral do Exército

DSC_6857As cerimónias militares dos 312 anos do Regimento de Cavalaria nº3 de Estremoz decorreram na manhã desta quinta-feira, dia 19, na Parada Macontene.

Em dia de aniversário, o futuro deste regimento foi praticamente garantido pelo Major-General Luís Nunes da Fonseca, Inspetor-Geral do Exército, que referiu à Rádio Nova Antena que “o Comando do Exército não tem nenhum plano para fazer sair daqui este regimento que é uma peça fundamental no dispositivo militar”:

DSC_6834O também diretor honorário da Arma de Cavalaria destaca a qualidade do trabalho que é feito no Regimento Cavalaria 3 que “tem uma participação muito ativa na região do Alentejo, sendo responsável pelo apoio a 22 municípios. Apesar da exiguidade de pessoal, transcendem-se e cumprem as missões com o máximo de empenho (…) São poucos mas são bons. São de qualidade”.

O coronel de cavalaria Jorge Pedro, comandante do Regimento de Estremoz, mostrou-se muito “orgulhoso com todos os militares do Regimento”, destacando como principal desafio para o futuro “o encargo operacional que têm”.

O presidente da Câmara Municipal de Estremoz, Francisco Ramos, garante que o Regimento de Cavalaria de Estremoz assume “uma importância muito grande para toda a região”.

DSC_6806O vice-presidente da Câmara Municipal de Elvas, Cláudio Carapuça, também marcou presença garantindo “a estreita relação entre Elvas e o RC3”.

O Regimento de Cavalaria nº3 de Estremoz é o mais antigo do exército português tendo sido criado em Olivença, em 1707, e é também conhecido com Dragões de Olivença.