Preservação do solo em colóquio da COPRAPEC e APORMOR

69672590_1152847874926479_1295904015317467136_n“Solo do Montado Alentejano – a importância na sua manutenção” foi o tema de um colóquio levado a cabo pela COPRAPEC, em parceria com a APORMOR, esta segunda-feira, 2 de setembro, no decorrer do último dia da Feira da Luz/Expomor.

Roberto Santos, técnico de campo da COPRAPEC, explica que o montado “está, cada vez mais, enfraquecido”. Por isso, a melhoria do solo é uma das principais preocupações da Cooperativa Agrícola de Compra e Venda de Montemor-o-Novo, que tem, nos últimos tempos, “procurado ajudar os produtores na resolução de problemas” nesta área.

Já Joaquim Capoulas lembra que “sem solo, não há vida”. O presidente da APORMOR assegura ainda que, “o Estado não tem dado a devida atenção à defesa do ecossistema montado”, pelo que cabe a associações como a APORMOR tentar ajudar, da melhor maneira, os produtores locais.

Com este colóquio, revela ainda Joaquim Capoulas, procurou-se chamar a atenção dos produtores para a preservação dos solos.

O colóquio, que decorreu no auditório da APORMOR, contou com a intervenção de investigadores da Universidade de Évora e da Escola Superior Agrária de Elvas, entre outros especialistas da área dos solos e da agricultura sustentável.