As periferias em debate no Ciclo de Reflexão Crítica em Évora

CIRC21MaioO Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida está a promover, durante o mês de maio o Ciclo Internacional de Reflexão Crítica (CIRC). A iniciativa trata-se de um conjunto de conferências de especialistas ligados à criação artística, à curadoria, à direção de instituições, à produção cultural que partilham as perspetivas relativamente à problemática da periferia.

Amanhã, dia 25, João Silvério está responsável pela sessão “Epicentros – itinerâncias da coleção de arte da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento” que se realiza às 15 horas. A coleção de arte contemporânea da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) foi criada em 1986, como parte integrante da área da cultura, numa relação de cooperação entre os Estados Unidos da América e Portugal.

O objetivo da sessão é apresentar, revisitar e ilustrar os vários projetos da FLAD e abordar a necessidade das práticas descentralizadas. João Silvério é mestre em Estudos Curatoriais pela Faculdade Belas-Artes da Universidade de Lisboa e é curador da coleção de arte contemporânea da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento.

No domingo, dia 26, Emília Ferreira analisa o papel das instituições culturais na apresentação “O tempo das periferias?” e tenta compreender os termos de periferia e centro nestes tempos de globalização. A professora ajuda a compreender o que é se pode fazer de diferente para aproximar as pessoas da alta cultura e dos valores artísticos, científicos e sociais.

Emília Ferreira é historiadora de arte e curadora, sendo que desde dezembro de 2017 é diretora do Museu Nacional de Arte Contemporânea e analisa as periferias às 15 horas.

A entrada para ambas as sessões é gratuita e realiza-se no Centro de Arte e Cultura da Fundação Eugénio de Almeida.