Companhia A Barraca no 7.º Festival de Teatro de Montemor (c/ fotos)

Já na reta final do 7.º Festival de Teatro de Montemor, que terminou no domingo, 21 de outubro, no Cineteatro Curvo Semedo, com a apresentação de “Hotel da Bela Vista”, pela Theatron Associação Cultural, teve em cena na sexta-feira, 19 de outubro, também no Curvo Semedo, a peça “1936 – O ano da Morte de Ricardo Reis”, pela Companhia “A Barraca”. Com 42 anos de existência, “A Barraca” é um pilar da nossa cultura, e foi um privilégio receber seus atores em Montemor, numa colaboração que prova o seu empenho em “dar a volta aos mundos com a nossa língua, com os nossos panos, com as nossas histórias. Para velhos e novos e crianças porque o melhor do mundo…”! Na peça apresentada, “A Barraca” volta a trabalhar sobre um texto de José Saramago, desta vez o romance escolhido foi O Ano da Morte de Ricardo Reis, numa adaptação a cargo do encenador, ator e dramaturgo Hélder Mateus da Costa, um dos membros fundadores do grupo de teatro A Barraca.

De 4 a 21 de outubro, o 7.º Festival de Teatro de Montemor levou à cena 12 peças e uma formação, sempre com entrada gratuita. O público uma vez mais não faltou à chamada, o que permite fazer um balanço bem positivo do evento. Para além da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, a organização do Festival foi partilhada com a Algures, Alma d´Arame, Grupo dos Amigos de Montemor, Projeto Ruínas e Theatron.