Montijo vai ter novo centro de saúde

DSC_4172 (Large)A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT), o Centro Hospitalar Barreiro Montijo e a Santa Casa da Misericórdia do Montijo assinaram hoje, 20 de abril, na sede da Santa Casa, o acordo de cedência de utilização de uma ala desocupada do Hospital do Montijo para a instalação de um novo Centro de Saúde (Unidade de Saúde Familiar – USF Aldegalega).

Num investimento público de meio milhão de euros, a USF Aldegalega irá abranger cerca de 13 500 pessoas, terá sete médicos de família e entrará em funcionamento durante o próximo ano.

Todas as entidades envolvidas e interessadas nesta questão, incluindo o presidente da Câmara Municipal do Montijo, Nuno Canta, que esteve presente na cerimónia, foram unânimes em assumir que o novo centro de saúde vai permitir melhor os cuidados de saúde no concelho, através da integração dos cuidados primários com os cuidados hospitalares.

“Com esta assinatura vamos ter mais um centro de saúde no Montijo e, com isso, pretende-se resolver o problema do excessivo número de famílias montijenses sem médico de família”, afirmou Nuno Canta. O autarca deu enfâse, ainda, à integração vertical dos cuidados de saúde que “permite conjugar esforços, servir melhor as pessoas e alargar, substancialmente, o acesso à saúde”.

Para Pedro Lopes, presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Barreiro Montijo, a assinatura do acordo é o concretizar “daquilo que sentimos todos os dias, que é a necessidade de servir a população de uma forma integrada e partilhada porque a saúde não tem níveis de cuidados”.

O presidente da ARSLVT, Luís Pisco, confessou que já há algum tempo que era procurada uma solução para a instalação de um novo centro de saúde e que a integração de cuidados“é boa porque permite, no fim de contas, criar um Parque de Saúde. A ARSLVT compromete-se a adequar e a equipar o espaço, oferecendo melhores condições aos profissionais de saúde, mas sobretudo condições condignas aos utentes”, acrescentando que “o presidente da câmara está, também, de parabéns porque sempre pugnou por esta solução”.

Enquanto proprietária do imóvel onde está instalado o Hospital do Montijo, o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Montijo, José Manuel Braço Forte, manifestou que a instituição “está a colaborar na melhoria dos problemas de saúde da população do Montijo originados pela falta de médicos de família”, ressalvando que “este acordo não resolve todos os problemas de saúde dos montijenses que continuam a necessitar de um novo hospital”.

Recorde-se que, junto do Ministério da Saúde, da ARSLVT, do Centro Hospitalar Barreiro Montijo e do ACES do Arco Ribeirinho, o Município do Montijo já tinha defendido a criação de um novo Centro de Saúde na ala desocupada do Hospital do Montijo, por acreditar que esta é uma solução que permite otimizar equipamentos e recursos, cumprindo uma política de verticalização de cuidados de saúde primários e hospitalares para acrescentar racionalidade às escolhas e às preferências dos cidadãos e garantir o direito à saúde.