Montemor: Orçamento Municipal para 2017 é de 20.119.090,70 euros

pev.jpgA Câmara Municipal de Montemor-o-Novo aprovou, na Reunião de Câmara do passado dia 31 de Outubro, o orçamento municipal para 2017, no valor de mais de mais de vinte milhões de euros.

O Município decidiu ainda manter o IMI, que se encontra no valor mínimo, e não aumentar as taxas e licenças municipais.

Neste documento está definida a estratégia para o desenvolvimento local do Concelho, as principais linhas programáticas para 2017 que dão continuidade ao trabalho desenvolvido nos anos anteriores e que colocam novos desafios ao Município.

Desta forma, as medidas aprovadas neste orçamento são a manutenção da descentralização de competências para as Juntas de Freguesia, a defesa da reposição das 10 freguesias do concelho e a exigência da criação da Comunidade Regional do Alentejo, dinamizada a partir do movimento Amalentejo que pretende modernizar a Câmara, melhorar o Serviço Público através da disponibilização de serviços online facilitadores da relação dos munícipes com a Câmara Municipal, a melhoria de instalações e equipamentos municipais, com a qualificação das instalações dos serviços municipais na Adua e o início das instalações municipais da EPAC. No documento está ainda a reabilitação do edifício do Mercado Municipal e envolvente, enquadrada no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), a implementação da Carta Estratégica-Montemor 2025, a continuação da implementação da Agenda 21 Local, o Programa de Promoção da Economia do Concelho, que, segundo o Município “apostará na divulgação económica e promoção dos recursos e potencialidades do Concelho”, a dinamização do CAME, com aplicação do Plano de Comunicação, a criação de parcerias com entidades e grupos locais para a dinamização do mercado municipal, a aposta na promoção turística do concelho, com a divulgação de novos roteiros de enoturismo e do património cultural e construído, a continuidade do processo de revisão do Plano Diretor Municipal e do Plano de Urbanização da Cidade, a aposta na qualificação urbana, com a preparação das intervenções do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano (PEDU), que, segundo o Município “o financiamento já se encontra assegurado”, a aplicação do Programa Municipal de Reabilitação Urbana, a qualificação da rede viária com intervenções ao nível de arruamentos em Cortiçadas de Lavre (já adjudicada), Ciborro e Foros de Vale de Figueira, a defesa da gestão pública do saneamento e do abastecimento de água através da continuidade da Parceria Pública, com prioridade para o acompanhamento da empreitada de conceção/construção da nova ETAR de Montemor (já iniciada), mantendo-se a posição reivindicativa junto da AgdA da necessidade de investimento na ETAR de Santiago do Escoural e Ciborro e investimentos na rede municipal de abastecimento de água com prioridade para Ciborro, ainda a promoção da Cultura, do Desporto e do Associativismo destacando-se o novo espaço da Oficina da Criança e a preparação da primeira fase de requalificação do Cine Teatro Curvo Semedo, no âmbito do também do PEDU, a continuidade da defesa e promoção do ensino e a educação públicas como fatores determinantes de democratização e de desenvolvimento, o Programa Integrado de Apoio Social “Mor Solidário”, a dinamização da Rede Social, e o apoio às estruturas de Proteção Civil e de segurança, nomeadamente aos Bombeiros Voluntários de Montemor-o-Novo.

(Fotografia de Arquivo)