“Caminhantes Sem Voz” são os ciganos do Alto Alentejo na lente do fotógrafo

CMEvora

A exposição que já correu mundo chegou a Évora para integrar o Festival de Cultura “Évora à Calma”.

“Caminhantes Sem Voz” são os ciganos do Alto Alentejo que Adalrich Malzbender guardou com a sua câmara e que agora nos mostra numa exposição de fotografia que tem feito um percurso notável por diversos países.

Adalrich Malzbender é um médico alemão que casou com uma alentejana de Portalegre, mas que se apaixonou também pelo Alentejo. Encantou-se com as planícies, as vilas e aldeias, e sobretudo com as gentes. Há 40 anos que se dedica à fotografia, mas há cerca de 30 deixou-se seduzir por um grupo de ciganos que ocupava uma quinta abandonada perto de Tolosa. Aos poucos foi conseguindo ganhar-lhes a confiança e o resultado foi o conjunto de registos que temos a possibilidade de apresentar.

A Câmara Municipal de Évora e as 3 Uniões de freguesia urbanas conseguiram trazer para Évora esta exposição que sublinha a diversidade cultural do programa “Évora à Calma”.

Estará repartida por três locais diferentes: a Biblioteca Pública, a galeria do Palácio do Barrocal e o Espaço Habévora na Cruz da Picada, podendo ser visitada até 16 de Outubro.

A inauguração, que terá uma componente cultural, acontece já na próxima segunda-feira, feriado de 15 de Agosto, nos três locais em sequência:

Às 16h na Biblioteca Pública de Évora com “Palavras Lidas” por José Russo

Às 17h no Palácio do Barrocal (INATEL) com “Bonecos & Campaniça”

Às 18h no Espaço Habévora da Cruz da Picada com “Música Cigana”.

Até ao último dia desta exposição em Évora surgirão momentos diversos de animação, entre os quais uma residência fotográfica.