Patolas e Patinhas contra abate de animais nos canis

canil_1Começou ontem a ser discutido na Assembleia da República o programa do Governo.

As propostas, acordadas previamente com o Bloco de Esquerda, PCP e PEV, incluem também seis ideias do PAN – Partido Pessoas, Animais, Natureza.

Uma destas medidas é acabar com o abate de animais nos canis e gatis municipais.

Manuela Freixo da Patolas e Patinhas – Associação dos Amigos do Canil e Gatil de Montemor-o-Novo também é “contra o abate no canil, sem dúvida que sou, e sou a favor da castração nos canis municipais. Castrar quando estão no canil já é importante porque já poderão misturar fêmeas com machos sem o problema de haver ninhadas indesejáveis. Para além disso, é mais fácil para alguém adoptar um cão que já está castrado sem ter custos. Sou completamente contra a pena de morte dos animais no canil, e a favor da castração. Nesse aspecto subscrevo o que o Partido PAN está a tentar implementar na Assembleia da República”.

De acordo com a actual legislação, ao fim de 8 dias no canil, qualquer animal de companhia pode ser abatido.

De acordo com o Correio da Manhã, “manter um cão de 20 kg custa ao Estado em média 400 euros por ano. Se for uma cadela, e porque a esterilização é mais cara, pode ascender aos 500 euros. A despesa inclui desparasitação, vacina contra a raiva, alimentação e castração/esterilização. Já cada abate custa 60 euros”.