Número de Trabalhadores independentes aumenta

IEFP

De acordo com um estudo encomendado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos, trinta anos depois da adesão de Portugal à CEE, o número de trabalhadores dependentes aumentou, mas a ligação à entidade patronal tornou-se mais precária e, em 2013, um em cada cinco assalariados eram contratados a prazo.

Jorge Gaspar, presidente do Instituto de Emprego e Formação Profissional, revela que de acordo com dados fechados de 2014 do IEFP, mais de metade (56%) dos contratos de trabalho realizados ao abrigo da medida “Estímulo Emprego” são por tempo indeterminado.

O relatório revela que o trabalho dependente tem sido impulsionado pela contração a prazo: Em 2013 mais de 700 mil trabalhadores estavam contratados a prazo, ou seja 21% do total dos assalariados, traduzindo-se num crescimento de 50% face a 1986 e tornando Portugal no terceiro Estado-membro onde os contratos a termo têm maior peso, apenas atrás de Espanha e Polónia.