35º ANIVERSÁRIO DA ASSOCIAÇÃO DE HUMANIDADE E RESPEITO PELOS IDOSOS DE ÉVORA

CMEvora

O Executivo da Câmara Municipal de Évora participou esta semana no 35º aniversário da Associação de Humanidade e Respeito Pelos Idosos de Évora (AHRIE). O evento foi animado por um almoço/convívio que reuniu quase meio milhar de reformados e também representantes de várias instituições e associações.

“Queremos manter vivo o espírito desta associação, que além de se preocupar com questões como o isolamento, por exemplo, luta fundamentalmente por melhores condições de vida para os reformados”, salientou o Presidente da Direção da AHRIE, José Alves.

“Ao comemorarmos 35 anos de vida, não podemos deixar de falar nos homens e mulheres que com poucos meios, norteados pelo objetivo de lutarem por uma vida melhor para os reformados, foram capazes de criar a AHRIE”, afirmou José Alves.

Por seu turno, o Presidente do Município, Carlos Ponto de Sá, salientou a importância destas organizações, ainda mais “nestes tempos extraordinariamente difíceis no país e em Évora”. Relembrou as injustiças na distribuição de riqueza em Portugal, considerando que “temos um país injusto, em que o problema não é falta de dinheiro, mas de opções políticas que favorecem os grandes em detrimento dos pequenos”.

Uma situação para enfrentar e dizer não, segundo o Presidente, assumindo o compromisso de “dar voz aqueles que mais necessidades têm”, ciente das dificuldades que a Câmara atravessa e do que isso implica quanto aos serviços prestados.

O autarca eborense deixou também palavras de solidariedade e de confiança aos reformados, sublinhando o que está a ser feito: “usando os poucos meios e recursos que temos, estamos a alterar esta situação e a pedir também a vossa colaboração para podermos melhorar Évora”, falando de alguns passos já a ser dados nesse sentido.

Finalizou com “uma palavra de imenso agradecimento e agrado a todos os que nas várias associações de reformados, e também nesta, têm a coragem de assumir o trabalho, de dar a cara e trabalhar em prol da comunidade”.