Crise Política em Elvas: Vereação anuncia demissão em bloco

1ConfPelourosA retirada de pelouros à vice-presidente da Câmara de Elvas, Elsa Grilo e ao vereador Rondão Almeida, foram hoje confirmadas, pelos próprios, durante uma conferência de imprensa, que também contou com a presença dos restantes vereadores – Vitória Branco, Manuel Valério e Tiago Afonso – e do presidente da Assembleia Municipal, Pedro Barrena.

Vereadores Suplentes assinam Declaração de Renúncia

Os três vereadores anunciaram a sua demissão, sendo que seis dos suplentes já assinaram a declaração de renúncia de mandato. Eleições antecipadas é agora a situação mais previsível, uma vez que restará apenas o presidente da câmara, Nuno Mocinha, o vereador da oposição pelo CDS/PP, Tiago Abreu e Carlos Dores (suplente ao cargo de vereador pelo PSD).

1ConfPelourosRondao“Nunca me senti tão humilhado” – Rondão

“Em 70 anos de idade nunca me senti tão humilhado como nas últimas 48 horas”, proferiu Rondão Almeida. Foi uma “cobardia retirar-me o pelouro sem me dar qualquer justificação”, alega. Rondão Almeida considera esta uma “decisão irresponsável”, que pode por em causa os compromissos com o Governo e os Fundos Comunitários”, no que diz respeito à recuperação dos prédios militares.

1ConfPelourosElsaGriloElsa Grilo anuncia candidatura à presidência da Câmara

“Estamos perante uma situação lamentável, de uma ingratidão sem fim”, alega Elsa Grilo. “Se é eleições antecipadas que querem, estamos cá para dar a cara à luta”, acrescenta. Elsa Grilo anunciou ainda que será cabeça de lista à Câmara Municipal de Elvas.

Vereadores eleitos dizem lamentar rutura

Manuel Valério, Vitória Branco e Tiago Afonso lamentaram toda a situação e revelaram-se chocados.

“Nuno Mocinha não quis dialogar” – Pedro Barrena

Já Pedro Barrena assegura que avisou Nuno Mocinha das consequências desta tomada de posição. “Pensava eu que isto era uma situação passageira, que se resolvia com o diálogo”, lamentou.