NUNO MOCINHA: “NÃO FUI ELEITO PARA PRESIDENTE DE FACHADA”

conferenciamocinha1Nuno Mocinha, presidente na Câmara Municipal de Elvas, considerou, na tarde desta terça-feira, que chegou “ao limite na reunião do passado dia 9 de julho quando o vereador Rondão Almeida apresentou uma série de pontos sem o conhecimento do presidente”.

“Tinha de tomar uma decisão: ou me demitia ou retirava a confiança política em quem em mim não confia”. “Foi uma decisão muito difícil. De um lado estava a confiança na minha equipa e de outro estava a decisão dos milhares de elvenses que me elegeram em setembro de 2013”.

“Não fui eleito para presidente de fachada”

“É com aqueles que estão a meu lado e dentro das condições em que me encontro que vou continuar a liderar esta autarquia”.

“Acredito porém, que o bom senso irá aparecer e que tudo o que for de bom para a cidade vai ser aprovado por mim e pelos vereadores”.conferenciamocinha3

“Não me demito”

Nuno Mocinha diz que só se irá pronunciar sobre factos. Não comenta a ameça de entrega de pelouros por parte de três dos seus vereadores. “Só falarei sobre isso quando acontecer”, adiantando que “não me demito sob qualquer circunstância”. Relativamente ao cenário de eleições intercalares, Nuno Mocinha, voltou a reiterar que “ainda não é a altura de falar sobre essa possibilidade”. Relativamente ao apoio da Federação Distrital do PS e do Secretariado Nacional do PS, Mocinha não revelou se conta com o seu apoio, afirmando que “serão esses órgãos que vão ter que se pronunciar sobre a matéria e não eu”. 

“O dia mais difícil da mainha vida”

“Não tomei esta decisão de ânimo leve. É provavelmente o dia mais difícil da minha vida”, afirmou.