HOSPITAL DE ELVAS VOLTA A RECEBER UTENTES DE ÉVORA, GARANTEM

hsopital14O Hospital de Santa Luzia de Elvas vai continuar a receber os utentes dos concelhos do distrito de Évora. A garantia foi deixada na reunião desta segunda-feira, dia 14 de abril, em Campo Maior.

Comprometeram-se a levar por diante este objetivo as entidades envolvidas neste processo, nomeadamente a Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo e a Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA), na presença do Comendador Rui Nabeiro e dos sete autarcas que têm vindo a pugnar pela defesa do Hospital de Elvas. A saber, estiveram presentes os municípios de Elvas, Campo Maior, Monforte, Borba, Vila Viçosa, Estremoz e Alandroal.

Mais, ficou a garantia que serão efetuadas alterações à Rede de Referenciação do Hospital de Santa Luzia, para que este, no futuro, integre os doentes dos quatro concelhos do distrito de Évora (Borba, Alandroal, Vila Viçosa e Estremoz). Até aqui estes concelhos estão integrados na Rede de Referenciação do Hospital do Espirito Santo, em Évora.

hospital14B

José Robalo, presidente da Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo, garantiu que não voltou atrás na palavra, apenas passou a existir “abertura” por parte da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano na alteração deste pressuposto.

Por sua vez, Dorinda Calha, presidente da Administração da Unidade Local de Saúde do Norte Alentejano (ULSNA) diz que é apenas uma questão de tempo para a alteração à Rede de Referenciação.

O presidente da ARS Alentejo disse não estar “constrangido” pelas restrições orçamentais, mas sim com a possibilidade de falta de resposta no Hospital de Elvas para os utentes do distrito de Portalegre em detrimento dos de Évora.

Doentes do distrito de Portalegre não podem ficar em causa

“Esta resposta por parte do Hospital de Santa Luzia não pode condicionar o atendimento das pessoas e população de todo o distrito de Portalegre. Isto é fundamental que aconteça para podermos garantir que se mantém este tipo de referenciação”.

O Comendador Rui Nabeiro, que apadrinha a causa de defesa do hospital de Elvas, no final da reunião evocou a palavra “Esperança”, como forma de reiterar que o processo está no bom caminho, porém adverte que “se tal não acontecer, vamos mais longe”.

Rondão Almeida, em representação da Câmara municipal de Elvas, revelou a sua satisfação com as conclusões desta reunião, considerando que a “indefinição terminou”.

Ricardo Pinheiro, presidente da camara de Campo Maior, ainda não emprega a palavra “tranquilidade” no tratamento deste assunto, mas está otimista quanto ao desenrolar do processo.

António Anselmo, presidente da câmara de Borba, saiu desta reunião convicto de que o problema com o hospital de Elvas está resolvido.

Mariana Chilra, presidente da camara de Alandroal, reitera que os autarcas “estão e vão continuar a estar atentos”.

Gonçalo Lagem, presidente da câmara de Monforte, revela “confiança” que o problema está resolvido “de vez”.

Luis Mourinha, presidente da Câmara de Estremoz, concorda que sejam os utentes a efetuar a opção de escolha pelo hospital onde querem ser tratados.