Liga dos Bombeiros toma posição sobre Socorrro de emergência

liga_bombeiros_portugueses

A Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP) torna pública a sua posição sobre a triagem de emergência através da linha 112 CODU que, por decisão do INEM, entrou em funcionamento no dia 1 de agosto, em todo o território continental.

Com efeito, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) tem um conjunto de procedimentos através dos Centros de Orientação de Doentes Urgentes, CODU, cuja chamada deve obrigatoriamente passar pelo 112, pois caso contrário, as ambulâncias de socorro não serão accionadas via INEM e, consequentemente, os Bombeiros não poderão prestar o devido auxílio.

Por decisão do INEM a solicitação deve ser sempre accionada via 112, já que se esta for directamente aos Bombeiros, estes não poderão efectuar o socorro sem a prévia autorização de saída por parte do INEM/CODU.

Esta opção configura a exigência de haver sempre contacto pessoal (utente – Central 112 – CODU).

Esta situação pode eventualmente criar dificuldades a quem estiver numa situação crítica (urgência ou emergência) e, qualquer atraso na chegada de socorro à vítima pode levar a situações irreversíveis ou até à perda de vidas humanas.

Assim, cumpre-nos a obrigação de esclarecer os portugueses que qualquer responsabilidade na demora da prestação de socorro dentro deste âmbito não pode em circunstância alguma ser assacada aos bombeiros, mas sim à entidade a quem cabe a decisão nesta matéria, INEM.

A LBP vê-se obrigada a questionar a opção ora tomada e reitera a sua total disponibilidade para, em sede de parceria INEM/LBP/DNB, continuar a pugnar pela qualidade da prestação de serviço de emergência prestado às populações, reafirmando mais uma vez não se responsabilizar em circunstância alguma, pelos atrasos na prestação de socorro por parte dos bombeiros, já que o despacho de saída é da total responsabilidade do CODU.