10 de Junho: Cavaco Silva elogiou militares

Cavaco_CNTNo Rossio de São Francisco, junto ao Aqueduto da Amoreira, milhares de pessoas participaram na cerimónia militar que contou com a presença do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, nestas cerimónias que marcaram o arranque deste dia na cidade.

Na sua primeira intervenção em dia de feriado nacional, o Chefe de Estado justificou a escolha de Elvas para as comemorações do 10 de junho com as “tradições militares” e com o facto de Elvas ter sido “palco de batalhas, e onde se escreveram das mais belas páginas da história portuguesa”. O Aqueduto da Amoreira e o Forte da Graça também não passaram despercebidos no seu discurso, adjetivando estes dois monumentos como “imponentes” e “grandiosos”.10JunhoMilitares2

No seu discurso, Aníbal Cavaco Silva, Comandante Supremo das Forças Armadas, dirigiu-se aos militares considerando-os “pilares fundamentais do Estado” mas que tendo em conta a “situação de crise e de exiguidade de recursos que Portugal atravessa, necessitam também de sacrifícios e reformas”. Neste aspecto, o Presidente da República referiu que “as reformas devem ser cuidadosamente preparadas e calendarizadas resultando de um consenso alargado entre órgãos de soberania e Chefes Militares”.

Uma vez que nesta cerimónia estavam presentes os Antigos Combatentes, Cavaco Silva “destacou o espírito de solidariedade que os Combatentes tão bem conhecem” e referiu que a “Nação deve saber honrar aqueles que tudo deram por ela”.

As cerimónias militares terminaram com o desfile dos três ramos das Forças Armadas.