Delta: constrói novo Museu de Ciência do Café

delta_logo

A Delta Cafés vai construi em Campo Maior o novo Museu de Ciência do Café com o apoio técnico e científico do Instituto de Investigação Científica Tropical(IICT).

O IICT e a Delta rubricaram um protocolo de colaboração que permitirá criar o novo ‘Museu do Café Delta – Centro de Interpretação, Divulgação Científica e Tecnológica e Promoção Turística’ cuja inauguração ocorrerá em 2013 .

O novo Museu irá ter muita interação com os visitantes e mostrará a planta do café em todos os aspetos, tendo segmentos dedicados à cultura e à industria do café.

Para João Manuel Nabeiro, Administrador da Delta-Cafés, as mais-valias desta colaboração com o IICT «são totais, porque o IICT é um Instituto que teve e tem um papel extremamente importante no estudo das plantas e, acima de tudo, no apoio à própria agricultura».

Nesse sentido, João Nabeiro acrescentou que o Museu de Ciência do Café passará a ser «também um meio que pode transportar todo este know-how e todas estas informações que são sempre necessárias para quem inicia esse processo, ou seja, o agricultor e acima de tudo para quem é consumidor».

Estão ainda previstos vários eventos à volta do tema do Café, em especial conferências e colóquios em Campo Maior, dinamizando bastante o Museu do Café em Campo Maior.

Mas o protocolo prevê também contrapartidas para o IICT, nomeadamente, o apoio financeiro da Delta-Cafés na recuperação de duas estufas para cafeeiros, situadas no Jardim Botânico Tropical, em Belém.

O projeto do Museu do Café Delta tem apoio do QREN, de 4 milhões e 695 mil euros e a conclusão está prevista para  o final de Março de 2013.

Para além da assessoria técnica e científica, o Laboratório de Estado vai numa segunda fase «atender a solicitações e pedidos dos visitantes pós abertura do Museu, para que sempre haja uma questão mais técnica, disponibilizarmos ajuda e a Delta dar resposta a essas solicitações», explica Cristina Tomé.

O IICT vai ainda contribuir na «organização de eventos à volta do tema do Café» como «Conferências ou Colóquios em Campo Maior, onde ajudaremos a Delta a definir quais serão os conteúdos, que individualidades que estudam o tema do café são relevantes estar nesses colóquios. E, portanto, haver aqui uma colaboração mais de divulgar e expor aquele que vai ser o Museu do Café em Campo Maior», referiu a Vice-Presidente do IICT.

Mas o protocolo prevê também contrapartidas para o IICT, nomeadamente, o apoio financeiro da Delta-Cafés na recuperação de duas estufas para cafeeiros, situadas no Jardim Botânico Tropical, em Belém.

Estufas que, segundo Cristina Tomé, são «uma montra do Instituto, o qual tem uma série de coleções científicas em termos de plantas, espécimes, que podem ser visitadas e que também servem para fazer investigação científica».

O projeto do ‘Museu do Café Delta – Centro de Interpretação, Divulgação Científica e Tecnológica e Promoção Turística’, tem apoio do QREN, com um valor aprovado elegível de 4 milhões e 695 mil euros, prevendo-se que esteja concluído no final de Março de 2013.