Há “ARTES À RUA” em Évora de 12 de julho a 06 de setembro

Anexo_CartazArtesRuaO “Artes à Rua” – Festival de arte pública promovido pela Câmara de Évora – está de volta para a sua 2.ª edição neste Verão de 2018. Com inicio já esta quinta-feira, 12 de julho, o evento promove inúmeras manifestações artísticas em espaço público e de acesso gratuito. A música, o teatro, a dança, o cinema, as exposições, as residências, as performances e algumas produções especiais acontecem em praças, ruas e largos do centro histórico.

Nesta edição, o Artes à Rua dialoga com três Festivais que se cruzam num mesmo tempo – o Évora África (Casa de Cadaval), o Alentejo Festival Internacional de Artes (CDCE) e o Art Fest Patrimónios (Associarte).

Tal como no ano anterior, as novas produções de mais de 50 criadores e agentes culturais e os cruzamentos entre os vários tipos de artes constituem parte significativa da identidade do festival. Exemplo disso são os espetáculos que resultaram de 3 residências artísticas em jeito de laboratório criativo:

“Ath-Thurdâ”, uma receita musical, de Évora para o Mundo, vai ser servida no dia 18 de Julho, pelas 22h, na Praça do Giraldo, num recipiente onde se junta um pouco de folk do País Basco com muito Cante Alentejano. O “prato”, a açorda, foi preparado por uma vasto leque de “cozinheiros”, nomeadamente Kepa Junkera, Mara, Celina da Piedade, Beatriz Nunes, Cantares de Évora, a viola campaniça de Tó Zé Bexiga, o piano de Amílcar Vasques-Dias, o contrabaixo de Carlos Menezes, a bateria de Mário Lopes, Gigabombos e Vozes do Imaginário, entre outros.

O espetáculo “SULCANTO”, que resulta do encontro de 3 expressões inscritas na lista de salvaguarda do património imaterial da UNESCO (Fado, Flamenco e Cante), junta Esther Merino no flamenco e Pedro Calado no fado e no cante alentejano. O resultado pode ser visto a 29 de julho, às 22h, na Praça do Giraldo.

Para 24 de Agosto, também na “Praça Grande” da cidade, está agendada a estreia de “P.L.I.N.T.” (Pablo Lapidusas International Trio) com a Orquestra Sinfónica dos Conservatórios de Évora e do Baixo Alentejo. O projeto surgiu como proposta na sequência do Evora Jazz Fest.

Guitarras ao Alto, com Francisca Cortesão e Mariana Ricardo (03 de agosto), Maria João com Moçoilas (04/8), Viviane (10/8), Ricardo Ribeiro (12/8), David Murray e Saul Wiliams (19/8), Valas (20/8) e Salvador Sobral, a voz de Alma Nuestra (30/8) são outros cabeças de cartaz de um vasto programa de quase 60 dias e mais de 150 espetáculos que confirmam Évora como cidade cultural, numa altura em que decorre o processo de candidatura a Capital Europeia da Cultura em 2027.

O programa completo do Artes à Rua pode ser consultado em www.cm-evora.pt