Município de Viana lutará contra encerramento dos CTT

CMVA1412O SNTCT – Sindicato Nacional dos Trabalhadores dos Correios e Telecomunicações em parceria com a Comissão de Trabalhadores e com o Município de Viana do Alentejo realizou uma sessão de esclarecimento sobre e encerramento da Estação dos CTT de Viana do Alentejo, no passado dia 5 de julho, pelas 21h30, no Salão da Junta de Freguesia local.

Segundo o sindicato o fecho das estações de Alvito e Viana do Alentejo vem juntar-se às de Almodôvar, Vidigueira e Barrancos que os CTT – Correios de Portugal, SA encerraram nos últimos tempos, substituindo-as por postos de correio geridos por parceiros. O Presidente do Município, Bengalinha Pinto, considera que a verificar-se esta situação, a população vê-se privada de serviços essenciais comrepercussões em toda a economia local.

Da iniciativa resultaram algumas ações, pretendendo-se envolver, também, a participação da comunidade, nomeadamente instituições locais. O Município de Viana do Alentejo garante que vai continuar a lutar contra a redução do horário da Estação de Correios de Viana do Alentejo que funciona, atualmente, entre as 9 as 12h00, bem como contra a intenção de encerrar a Estação e passar a Posto.

O Executivo mostra-se contra a redução de serviços prestados às populações devido a um conjunto de fatores, entre os quais, a ausência de transportes públicos e o facto de uma parte considerável da população ser idosa e não ter recursos económicos para fazer face a esta situação.

Recorde-se que o Município manifestou-se frontalmente contra esta decisão dos CTT e, desde novembro passado, tem vindo a envidar todos os esforços junto de diversas entidades para que os serviços se mantenham, nomeadamente os CTT, aANACOM, os grupos parlamentares, a Secretaria de Estado das Infraestruturas, a DECO, a Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas, a Provedoria de Justiça e a Unidade de Missão e Valorização do Interior.

A Assembleia Municipal de Viana do Alentejo aprovou por unanimidade a 21/12/2017, uma moção contra a redução dos serviços prestados pelos CTT que, para além das entidades referidas anteriormente, foi também enviada para a Presidência da República e para o Ministério do Planeamento e das Infraestruturas.

O autarca garante que o Município irá continuar a desenvolver todos os esforços para denunciar esta situação,exigindo às entidades competentes que assumam as suas responsabilidades na resolução de um problema que afeta todo o interior do país, contribuindo ainda mais para a sua desertificação.

Share on FacebookTweet about this on Twitter